NOTICIAS

Quatro regionais de BH em alto risco depois da madrugada mais chuvosa do ano

Depois da madrugada mais chuvosa do ano de 2024, Belo Horizonte amanhece neste domingo (14/01) com quatro regionais sob o mais alto risco geológico, que é quando os terrenos estão tão encharcados que podem desabar, deslizar ou desmoronar se tensionados. Só a regional Leste registrou quase um quarto da chuva do prevista para janeiro: 78,2 milímetros (23,6%).

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Belo Horizonte (Comdec-BH) emitiu alerta de alto risco geológico para as regionais Centro-Sul, Noroeste, Leste e Barreiro devido a chuvas intensas. A regional Norte está sob risco moderado.

Os alertas se estendem até quarta-feira (17/01). Neste domingo (14/01) a previsão meteorológica da defesa civil de BH indica que o dia será de céu nublado com chuva a qualquer hora, por vezes fortes, e possibilidade de raios e rajadas de vento ocasionais. A temperatura mínima foi de 17 °C, a máxima estimada é de 28 °C e a umidade relativa mínima do ar em torno de 60% à tarde

A média de chuvas entre meia-noite e 6 horas nas nove regionais foi de 45,5 milímetros (mm). A regional com chuvas mais intensas neste intervalo foi a Leste, seguida da Centro-Sul, 74,8 mm (22,6%); Barreiro, 66,1 mm (20%); Nordeste, 48,4 mm (14,6%); Oeste, 27,8 mm (8,4%); Venda Nova, 24,6 mm (7,4%); Norte, 23,4 mm (7,1%); e Noroeste, 20,8 mm (6,3%).

Cada mm de chuva equivale a 1 litro de água por metro quadrado empoçado no solo. Uma chuva semelhante à que caiu na madrugada, se chegasse a 50 mm, teria água suficiente para encher um pequeno caminhão-pipa (5 mil litros) só com o acumulado em área equivalente a metade de uma quadra de tênis (98 metros quadrados).

No acumulado do mês de janeiro, que tem média histórica de 330,9 mm, a Regional Centro-Sul já atingiu 89,3% desse volume médio. Em seguida, as mais chuvosas foram a Barreiro, com 242,5 mm (73,3%); Pampulha, 220,2 mm (66,5%); Noroeste, 191 mm (57,7%); Leste, 185,8 mm (56%); Venda Nova, 152,4 mm (46,1%); oeste, 152,2 mm (46%); Nordeste, 146,2 mm (44,2%); e Norte, 121,2 mm (36,6%).

“Recomenda-se atenção no grau de saturação do solo, sinais construtivos e cuidados com quedas de muros, deslizamentos e desabamentos”, informa a Comdec-BH.
Entre os sinais de fragilidade do solo que determinam a evacuação imediata da residência e contato com a defesa civil são destacados: trinca nas paredes, água empoçando no quintal, portas e janelas emperrando, rachaduras no solo, água minando da base do barranco, inclinação de poste ou árvores, muros e paredes estufados e o ouvir de estalos.

A Defesa Civil ainda recomenda que os moradores não façam cortes muito altos e inclinados nos barrancos, instalem calhas no telhado de casa, consertem vazamentos em reservatórios e caixas-d’água, não joguem lixo ou entulho na encosta, não despejem esgoto nos barrancos e não façam queimadas.

Os moradores de Belo Horizonte podem receber os alertas de risco de chuvas fortes, granizo, tempestades, vendavais, alagamentos, risco de deslizamentos de terra e outros fenômenos meteorológicos por SMS. Para se cadastrar, basta enviar uma mensagem de texto com o CEP da sua rua para o número 40199 e uma mensagem de confirmação será enviada na sequência. O serviço não tem custo.

A população também pode acompanhar os alertas e as recomendações da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil por meio do Instagram, X, Facebook e pelo canal público do Telegram no endereço: defesacivilbh.

Fonte: Em

suporte

Comentar

clique para comentar


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Guia de Empresas

abril 2024
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930